Empresa de TI é condenada a indenizar trabalhadora sujeita a ociosidade forçada.

Empresa de TI é condenada a indenizar trabalhadora sujeita a ociosidade forçada.

Uma empresa de tecnologia foi condenada pela Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho a indenizar uma trabalhadora em R$ 5 mil por assédio moral, por ter sido ignorada pela gerente da filial, que a deixou sentada num sofá por dois dias, sem indicar o local de trabalho logo no início da contratação.

O Tribunal Superior do Trabalho reestabeleceu a condenação de primeira instância por entender que a conduta da empresa teria ofendido o princípio da dignidade do trabalhador e por configurar abuso do poder diretivo do empregador.

Ainda, segundo o Ministro Relator do processo, “A conduta patronal expõe o trabalhador a constrangimento desnecessário, ensejando a condenação ao pagamento da indenização por assédio moral.”.

As empresas precisam estar cientes de que fornece trabalho a um empregado é obrigação contratual, e, qualquer ação dissociada desta obrigação pode significar a constituição de passivo trabalhista.