4 cuidados ao escolher um sócio para sua startup.

Criar uma startup de sucesso significa mais do que ter um bom produto ligado a um grande mercado, mas também ser capaz de reunir as melhores pessoas com os mesmos objetivos, mesma paixão e vontade de criar um negócio realmente incrível.
Ainda que a busca por bons profissionais na área técnica ou de gestão seja uma tarefa difícil, encontrar um sócio é, sem dúvidas, a mais difícil de todas as tarefas. Não apenas porque é fundamental encontrar alguém com perfil complementar ao seu, mas que também conheça e esteja disposto a assumir os riscos de um negócio inovador, presentes de forma invariável em startups.
Dessa forma, é importante tomar alguns cuidados no processo de seleção do sócio. Abaixo exploraremos quatro cuidados, dentre os mais importantes.

Proteja-se no início.
O início de toda sociedade é marcado por um bom convívio entre os sócios, que têm o mesmo objetivo: construir um negócio de sucesso. Mas, infelizmente também é nesse período que erros jurídicos mais acontecem. Por acreditar que as coisas sempre darão certo, alguns empreendedores deixam de se preocupar em estabelecer formalmente as condições negociais combinadas, bem como as soluções possíveis em virtude de problemas que porventura aconteçam. Aproveite essa fase e coloque tudo no papel, garanta seus direitos e estabeleça os direitos e deveres de todos os envolvidos no novo projeto.
É fundamental, por exemplo, discriminar em um acordo de quotistas/acionistas o papel de cada sócio dentro da sociedade, qual a sua autonomia na tomada de decisões e quais assuntos exigirão a participação de todos para deliberação.
Outra questão extremamente relevante e que merece ser definida previamente é a saída dos sócios. Independentemente da motivação que ocasionar, as condições para a retirada de um dos sócios podem (e devem) ser previamente estabelecidas. Assim, discussões futuras ligadas ao valuation do negócio, a forma de apuração de valores a serem pagos ou recebidos, a possibilidade de entrada dos herdeiros como novos sócios, dentre outros problemas, não atrapalharão o bom andamento dos negócios.

Conheça a integridade do novo sócio.
Sociedades de sucesso são construídas com base na confiança.
Ainda que a integridade de um indivíduo não possa ser mensurada objetivamente, há atitudes que podem ser tomadas para minimizar o risco de surpresas indesejadas. Fazer contato com empresas e pessoas que já trabalharam com o seu futuro sócio, por exemplo, pode ser um dos caminhos.

Conheça a experiência do novo sócio.
Eleger um novo sócio que efetivamente não agregue valores e experiências ao seu time pode ser um desperdício de equity, sem falar na possibilidade de outros problemas futuros. Dessa forma, busque sócios que complementem seu perfil empreendedor.
Boas startups normalmente são criadas por sócios de áreas diferentes: um bom técnico com um bom gestor; um bom gestor com um bom financeiro; ou um técnico, um gestor e um especialista em marketing. A admissão de novos sócios, inclusive, pode ser uma medida estratégica e importante para o crescimento da sua startup, mas esta decisão deve ser tomada considerando especialmente a capacidade de entrega e o quanto o novo sócio poderá contribuir para o projeto.
Neste caso, um bom contrato de Vesting pode resguardar o interesse de todos.

Compartilhe suas paixões e visões.
Criar uma startup de sucesso é uma missão extremamente difícil, que envolve momentos de estresse e alegria. Em um cenário de tantas incertezas, sem paixão dos sócios pelo que estão construindo e sem visão de futuro, dificilmente será possível motivar os demais colaboradores a buscarem as metas de crescimento necessárias para o sucesso do novo negócio.
Caso, no processo de seleção de um novo sócio, você não perceba o que lhe motiva a fazer parte da sociedade e a assumir os desafios do empreendedorismo, fique atento, pois talvez o futuro da sua startup pode estar em risco. Essas respostas poderão vir após algumas horas de conversa, negociação e questionamentos específicos.
Através desses cuidados, minimizam-se os riscos relativos aos candidatos a integrar sua sociedade.
Enfim, é extremamente necessário tomar diversos cuidados e garantir um acompanhamento jurídico em todas as etapas do processo, para que mecanismos de proteção, tanto para você, quanto para sua startup, sejam devidamente constituídos.

Ainda tem alguma dúvida, sugestão ou comentário sobre esse tema? Compartilhe conosco!

Para mais informações necessárias à gestão jurídica da sua empresa, assine nossa newsletter!


Posts recentes